ECONOMIA

Geração de empregos: setores avaliam expectativa para o 2°semestre de 2021


© Freepik

Uma constatação. O município de Itapetininga, localizado na região Sudoeste do estado de São Paulo, tem redesenhado os gráficos e contrariado as estatísticas quando o assunto é desenvolvimento e geração de emprego.

A cidade, há anos reconhecida nacionalmente pelo potencial no agronegócio, avançou os limites do campo e, nos últimos cinco anos, se transformou em um polo econômico regional, atraindo a atenção de grandes investidores, concentrando uma série de empreendimentos e gerando milhares de novas vagas de trabalho.

O relevo urbano, onde durante décadas quatro condomínios verticais se destacaram, ganha agora novos contornos, com a instalação de novas torres, que se somam às dezenas de empreendimentos imobiliários horizontais. Somente nos cinco últimos anos, cerca de 80 novos empreendimentos habitacionais, entre condomínios e loteamentos, optaram por Itapetininga como mercado de expansão.

Na rota do desenvolvimento, a vinda de grandes marcas de redes de atacado e varejo, bandeiras multinacionais de consumo, instalação de um novo campus universitário, complexos comerciais e abertura de empresas de pequeno, médio e grandes portes de inúmeros segmentos, impulsionam a tendência de otimismo para novos investimentos e redefinem o cenário econômico da cidade, colocando-a na 12ª posição do estado de São Paulo e 88ª no Brasil na geração de empregos, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – Caged de 2020.

Dados atualizados do setor de Engenharia da Prefeitura de Itapetininga, responsável pelas aprovações de novos projetos de construção de empreendimentos comerciais no município, apontam 179 novas liberações de construções desde 2017.

O resultado desse ciclo de desenvolvimento, que cria uma cadeia de consumo no mercado interno e crescimento da economia local, se reflete diretamente na abertura de novos postos de trabalho.

A equação é simples. A chegada de novas empresas aquece o mercado interno, gerando consumo local. Setores ligados à construção civil, como lojas de materiais, metais, vidros e acabamentos são imediatamente beneficiados. Na sequência, ramos como hotelaria, locação de imóveis e alimentação acabam sendo os responsáveis pela logística de implantação e abastecimento da mão-de-obra na absorção das novas empresas. Ao fim do processo, além da geração empregos, a economia do município se fortalece com o giro de capital dentro da própria cidade.

Dados do Caged deste ano apontam que, somente neste primeiro trimestre, Itapetininga alcançou o saldo positivo de 906 postos de trabalho.

Uma sequência de anúncios feitos pela prefeita Simone Marquetto desde o início de 2021 traz a exata dimensão da projeção de novas vagas de emprego, entre diretas e diretas, que serão criadas em Itapetininga a partir do 2º semestre de 2021. São mais de 4,5 mil novos postos de trabalho, incluindo instalações de grandes redes atacadistas e de varejo, empreendimentos imobiliários, instituição de ensino, bandeira multinacional de proteína animal, entre outros.

Especialistas afirmam que o perfil arrojado da chefe do Executivo contrasta com o atual momento, impactado pelos desafios da Covid-19, e tem transformado Simone Marquetto em referência de gestão pública na região.

Com versatilidade e dinamismo na condução das tratativas, Simone tem se destacado no atendimento a novos investidores e, sua equipe técnica multidisciplinar, pelas aprovações a novos projetos.

Empresários são categóricos em destacar a agilidade da prefeitura nos trâmites burocráticos com a liberação de alvarás e documentos, e a receptividade de Simone em prontamente atendê-los em seu gabinete.

“Itapetininga é uma das maiores e melhores cidades da região para se investir e para nós, investidores, é necessária essa segurança e apoio governamental. Agradeço a disponibilidade da prefeita em nos receber”, enfatizou recentemente o executivo Paulo Casa Grande, Head de Expansão da Tenda Atacado com relação à escolha do município para a instalação do empreendimento que irá criar 500 novas vagas de trabalho, entre diretas e indiretas.

Também em recente anúncio de um novo condomínio na cidade, o gerente de Legalização da Construtora Tenda, Daniel Reis, ressaltou a agilidade do município nas liberações.

“Quando a gente encontra um município assim, é muito gratificante. Tudo é muito rápido. As certidões de um outro empreendimento saíram em menos de uma semana”, disse o executivo, ao anunciar um novo condomínio com 804 casas e que irá gerar cerca de 870 empregos, entre diretos e indiretos.

Reeleita em novembro de 2020, Simone Marquetto destaca o momento de expansão econômica de Itapetininga, o cenário favorável ao investimento de empresas, sobretudo na geração de novos postos de trabalho e no desenvolvimento do município e da região.

“Nossa expectativa é ainda mais otimista a partir do segundo semestre. Tudo é resultado de muito planejamento e de trabalho. Este será mais um ‘boom’ para nossa cidade e para toda região. Nós ‘estendemos tapete vermelho’ para os investidores porque a instalação de novas empresas gera emprego e crescimento. Nosso propósito é atender a todos com transparência, sempre com menos burocracia e mais parceria, sempre dentro da legalidade. Novas empresas geram novas empresas e, com isso, a cidade vai se desenvolvendo e gerando ainda mais empregos”, concluiu a chefe do Executivo.


Fale conosco ou participe do nosso grupo do WhatsApp

Assine nosso canal do Telegram




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



ECONOMIA  |   28/05/2021 18h59

Itapetininga - SP
 

ECONOMIA  |   21/05/2021 20h03

Itapetininga - SP
 

ECONOMIA  |   20/05/2021 16h05

Itapetininga - SP