AGRICULTURA

Projeto agrícola inovador beneficia a agricultura familiar


© Prefeitura de Itapetininga

Um dos grandes desafios deste século tem sido garantir o abastecimento dos grandes centros, unindo técnicas agrícolas à necessidade de se criar uma cadeia sustentável de produção, atendendo ao mercado consumidor, mas, principalmente, priorizando a agricultura familiar, com a resgate de uma perspectiva ecológica, com métodos que gerem maior economia e, ao mesmo tempo, não agridam o meio ambiente.

Essa é a proposta do Projeto Agricultura Regenerativa, criado e desenvolvido pela Prefeitura de Itapetininga e que tem o apoio da Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável - CDRS.

As análises e implementação da técnica de manejo de solo e colheita diferenciados tem baseado os estudos da secretaria Municipal de Agricultura, Agronegócio, Trabalho e Desenvolvimento desde 2017, voltando inclusive, os olhares do Governo do Estado de São Paulo para as videoconferências pautadas na Transição Agroecológica, técnica que orienta a Agricultura Regenerativa e que promove o processo gradual com acompanhamento de transformação das bases produtivas e sociais para recuperar a fertilidade e o equilíbrio ecológico do agroecossistema em acordo com os princípios da Agroecologia.

O cuidado com o solo é um aspecto importante da Agricultura Regenerativa. Graças à suas práticas, é possível recuperar solos empobrecidos e garantir o bom uso deles. Nesse contexto, a agricultura regenerativa valoriza os micro-organismos presentes no solo, já que eles são fundamentais para a manutenção da terra. Por isso, um dos mecanismos desse tipo de agricultura é o desenvolvimento e a utilização de biofertilizantes preparados com materiais naturais, que são posteriormente disponibilizados para o agricultor. Esses biofertilizantes enriquecem o solo e beneficiam a cultura com micro-organismos.

Em Itapetininga, o projeto está sendo realizado com o processo de implementação da "adubação verde", prática na qual plantas atuam como ferramentas para melhorar as qualidades químicas, físicas do solo e biológicas e que ganha cada vez mais adeptos por sua praticidade e retorno financeiro junto a produtores da chamada "agricultura familiar" e sendo desenvolvido por meio de capacitações e acompanhamento técnico às propriedades rurais.

Até o momento, 14 produtores aderiram ao projeto, de oito diferentes localidades rurais do município - Faxinal do Rio Acima, Tupy, Sabiaúna, Pinheiro Alto, Capão Alto, Campo do Meio, Conceição e Peruba.

Dona Lúcia Bueno Soares é um dos exemplos de produtores beneficiados com o projeto. Aos 44 anos, ela dá os primeiros passos na atividade agropecuária, com a criação de 25 cabeças de gado leiteiro, porcos e galinhas em sua propriedade localizada no bairro Faxinal do Rio Acima.

Há três anos dedicada integralmente ao trabalho em sua propriedade, a agro empreendedora, com o incentivo e orientação dos técnicos da Prefeitura de Itapetininga, aderiu à proposta da prática da Agricultura Regenerativa e explica como a nova experiência pode gerar economia e aumentar a rentabilidade na produção de leite de seu rebanho.

"Esta é a primeira vez que utilizamos esse método. De adubo verde, recebemos uns 3 kg de sementes de mourisco, 2,5 kg de mileto e 2,5 kg de braquiária, além de 1,5 tonelada de calcário. Fizemos a mistura e incorporamos ao solo. São 3 mil m² de área. Depois de uns 45 dias do solo preparado, enriquecido, iremos iniciar o plantio do Capim Açú que vai servir como alimento para as vacas. Isso vai gerar economia, porque antes o rebanho comia cana e napier (espécie de capim), e mais rentabilidade porque o gado passa a produzir mais leite", contou entusiasmada a produtora que já comercializa sua produção de 35 mil litros anuais de leite a um laticínio.

A expectativa de aumento na produtividade e nos lucros, animam a produtora. Ainda iniciante no segmento agropecuário e descobrindo as possibilidades de expansão criadas com o aprimoramento das técnicas, Lúcia já tem planos traçados para os futuros ganhos com a atividade.

"Primeiro vamos continuar a investir na melhoria da pastagem e, depois, a gente vai aumentando e vendo as outras coisas", disse com a consciência de que a prioridade, no momento, é ter foco total na ampliação de sua produção.

A aquisição dos insumos, calcário e as sementes que compõem o adubo verde, foi viabilizada através de recursos do Prêmio Cidadania no Campo - Município Agro, do Sistema Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável - SEDRUS, quando o município se destacou em todo o estado sendo premiado para investimentos no setor.

O projeto, considerado uma inovação na modalidade, inclui produtores em processo de transição agroecológica, se transformando em um incentivo à produção sustentável de alimentos no município, beneficiando produtores, o meio ambiente e consumidores.

Para a prefeita de Itapetininga, Simone Marquetto, os investimentos no setor agrícola, um dos grandes pilares econômicos do município, são essenciais para o fortalecimento do trabalho do homem do campo e consolidam a solidez e o crescimento que a área vive no momento.

"Nosso agronegócio é forte e investir nas capacidades e no homem do campo criam novas possibilidades de culturas e de expansão no setor. Estamos fortalecendo nossos pequenos produtores com técnicas modernas, como a própria Agricultura Regenerativa, e com incentivos às produções de laticínios, mel e outros produtos de nossa terra. Temos o selo 100% Itapetininga que valoriza nossa produção local, o selo SISBI que permite a comercialização nacional, a implementação do GPS Rural que facilita a localização de propriedades rurais e acessos a serviços, e continuamos a olhar com muito carinho para aqueles que tiram de nossa terra, seu sustento e engrandecem sempre nossa Itapetininga com seu trabalho", destacou Simone.

Os produtores rurais que tiverem interesse em ter mais detalhes e informações sobre o projeto, podem entrar em contato com a secretaria Municipal de Agricultura, Agronegócio, Trabalho e Desenvolvimento que fica à rua Monsenhor Soares, 251, na área central, ou ainda, através dos telefones: (15) 3272-9218 e (15) 3271-3538, sempre de segunda a sexta-feira, das 9 às 17 horas.



Fale conosco ou participe do nosso grupo do WhatsApp

Assine nosso canal do Telegram




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



AGRICULTURA  |   22/02/2021 14h45

Itapetininga - SP
 




AGRICULTURA  |   21/08/2020 16h00

Itapetininga - SP
 

AGRICULTURA  |   10/03/2021 03h49